Corpos Menores – Asteroides e Chuvas de Meteoros

Na manhã do dia 30 de junho de 1908, numa região remota e desabitada da Sibéria, no vale do rio Tunguska, uma grande explosão com potência aproximada de 185 vezes a bomba atômica de Hiroshima, destruiu uma área equivalente à da cidade de São Paulo.

A primeira expedição científica conseguiu chegar no local, somente no ano de 1927. Os cientistas registraram em fotos o estrago causado, mas não encontraram nenhuma evidência do que poderia ter causado tal destruição. Nenhum fragmento de rocha ou vestígio de artefato foi encontrado.

Hoje acreditamos que um fragmento de cometa, com cerca de 36m de diâmetro e com velocidade de 53 mil km/h teria entrado em contato com a atmosfera da Terra. Como cometas são constituídos basicamente por gás congelado, ao atritar com os gases da nossa atmosfera, esse fragmento teria atingido uma temperatura de 24 mil°C e explodido a uma altitude de 6km da superfície.

Em 07 de dezembro de 2016, as Nações Unidas proclamaram o dia 30 de junho como o Dia Mundial do Asteroide, com o intuído de alertar e esclarecer a população sobre os perigos de um novo choque como esse e quais as consequências, caso se desse sobre uma área populosa.

No FTD Digital Arena, nós estaremos discutindo sobre os possíveis objetos celestes que podem atingir a Terra, o que sabemos sobre eles, como se dá o monitoramento de suas órbitas em torno do Sol, o que poderemos fazer, caso encontremos um desses objetos em rota de colisão com a Terra.

Classificação indicativa: livre.

 

 Sessão em 360° fulldome.

 

Confira a programação completa e os valores do ingresso aqui!